quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

Saudade

Saudade é uma dor bem doída mas boa... Como pode? Parece uma dor ''boa'' de se sentir cultuada pelos portugueses e transmitida a nós, brasileiros.
A saudade geralmente é de algo que marca. Que marca profundamente o nosso ser. Pode ser uma pessoa, um lugar, um momento, um aroma, uma flor, um animal de estimação, uma época de nossas vidas! Uma das piores saudades é daqueles que partiram; hoje mesmo passei em frente ao cemitério do Cajú, aqui no Rio de Janeiro e  minha mãe lembrou do nosso artista-cantor-poeta Renato Russo. Ele era tão poético e bacana, que existem comunidades no Orkut com mais de 700 mil participantes, saudosos do Renato Russo. E assim é com outros artistas como Raul Seixas, Paulo Sergio, etc...
Saudade é uma das palavras mais presentes na poesia de amor da língua portuguesa e também na música popular, "saudade", só conhecida em galego e português, descreve a mistura dos sentimentos de perda, distância e amor. A palavra vem do latim "solitas, solitatis" (solidão), na forma arcaica de "soedade, soidade e suidade" e sob influência de "saúde" e "saudar".
Em Portugal, o Fado, oriundo do latim "fatum", destino, está diretamente associado com este sentimento.
Um fado é bem triste e gosto de ouvir. Muitas vezes a saudade é algo ruim e ao mesmo tempo bom. Como cantava Renato Russo ''Saudades do que eu ainda não vi...''
Já senti esse tipo de saudade - inexplicável!
Será que a geração de agora sente? Com toda essa onda neo-liberalista? Tudo descartável, até os sentimentos?
Mas, não podemos julgar! Talvez muitos sentem saudade e nem sabem!
Ju
***
Pesquisa Wikipédia
***
"Há dor que mata a pessoa
Sem dó nem piedade.
Porém não há dor que doa
Como a dor de uma saudade."
Patativa do Assaré

Nenhum comentário:

Postar um comentário