segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

O Ateneu - Raul Pompéia

Um dos livros que li na minha adolescência e que me marcou foi o Ateneu - de Raul Pompéia. uma obra impressionista, outros dizem ser realista/ naturalista. De literatura não entendo muito, mas essa obra realmente não esqueci. A linguagem era de um português muito culto. Dizem ser a história do próprio autor Raul Pompéia, dentro de um famoso colégio interno carioca para onde iam os filhos da elite do Rio de Janeiro. Só que no livro o protagonista se chamava Sergio e o colégio Ateneu. O próprio pai de Serginho o leva para o Ateneu,  na certeza de que daria a melhor educação e futuro para o filho. E diz ao filho ''Vais encontrar a vida!'' Até cortam o cabelo louro de Serginho por solicitação do diretor da escola, Aristarco. A sua esposa Dona Ema dá a idéia de mandar o cabelo cortado em uma caixinha para a mãe dele, pois ''os louros do cabelo ficam na infância''.
Dentro desse colégio, Serginho sofre muito. Nesse ''maravilhoso'' colégio há episódios de homossexualismo entre os meninos mais fortes que abusam da fraqueza dos menores, bulliyng, violência, pedofilia, etc... Enfim,  realidade do colégio era muito diferente da sua fama de ''ótimo''.
Enfim, é uma estória pesada, densa, forte. Mexe com o leitor. E faz pensar que realmente a escola afeta a vida de uma pessoa. A escola constrói homens e mulheres. E nem sempre o mais caro é o melhor, mas  o importante é a escola em que o aluno tenha identidade, que goste de estar ali. E também nos faz pensar nessas escolas tradicionais antigas, inflexíveis, que não levavam em consideração ao lado afetivo, emocional do aluno. 
''Crônica de Saudades"" - Assim Raul Pompéia chamava com ironia o conto sobre o colégio onde vivera tantos anos de sua vida.
Ju

Um comentário:

  1. Tô fazendo um resumo dele, e não está facil. :/

    ResponderExcluir